Como já discutido anteriormente, o consumo de ômegas 3 está relacionado com a manutenção da saúde. Uma de suas formas, o DHA, é de fundamental importância para o desenvolvimento cerebral e da retina, além de estar relacionado com vias anti-inflamatórias do nosso organismo. (acesse aqui para ler mais sobre as diferentes formas de ômega 3 e suas importâncias… )

Sabendo disso, é importante conhecer as fontes de DHA. Além de presente em alimentos de origem animal e convertida em nosso organismo a partir do consumo de alimentos vegetais, as principais fontes naturais de DHA são os óleos de peixe e de alga.

Atualmente o óleo de peixe é o mais conhecido e utilizado quando se trata de suplementação alimentar. Entretanto, o óleo de alga apresenta diversas vantagens em relação ao de peixe, em aspectos sensoriais (não apresenta sabor forte e residual após a ingestão), na baixa alergenicidade (visto que é seguro para o consumo por pessoas com alergia a peixes e frutos do mar) e na sustentabilidade da produção. Além disso, as algas são as fontes primárias de ácidos graxos poli-insaturados (PUFAs) ômega 3, especialmente o DHA, e sua produção é feita de forma controlada, não apresentando risco de contaminação por metais pesados, microplásticos e outras toxinas, como acontece com o óleo de peixe.

O óleo de alga é extraído de microalgas, que são algas microscópicas unicelulares. Uma das principais espécies utilizada para a extração de óleo para consumo é a Schizochytrium sp., a qual é rica em PUFAs, sendo que o DHA representa cerca de 40% dessa composição. O óleo de microalgas Schizochytrium sp. é, portanto, uma opção vegana, sustentável e prática para ajudar você a atingir suas necessidades diárias de DHA e obter todos os benefícios relacionados ao seu consumo.             

[1] Astiasarán, I., & Ansorena, D. (2009). Algal Oils. Gourmet and Health-Promoting Specialty Oils, 491–513. doi:10.1016/b978-1-893997-97-4.50025-5 

[2] Norton, T.A.; M. Melkonian; R.A. Andersen. Algal biodiversity. Phycologia 1996, 35, 308–326. Pulz, O. Photobioreactors: production systems for phototropic microorganisms. Appl. Microbiol. Biotechnol. 2001, 57, 287–293.

[3] Spolaore, P.; C. Joannis-Cassan; E. Duran;A. Isambert. Commercial applications of microalgae. J. Biosci. Bioeng. 2006, 101(2), 87–96.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *